Exportações – 1º semestre 2020

BLOG - COSIBRA

Sisal Brasil – Informativo julho 2020

Exportações – 1º semestre 2020

As exportações brasileiras do complexo sisal no primeiro semestre de  2020  totalizaram 31,4 mil toneladas – 4,7% menores que as 32,9 mil toneladas negociadas em  igual  período  de 2020. O valor FOB total foi de US$ 44,3 milhões – 9,9 % inferiores aos US$ 49,1 milhões de igual período do ano passado.

Fibras beneficiadas. Diminuição no quantitativo exportado e no preço médio de exportação. Foram transacionadas 17 mil toneladas de janeiro a junho/2020 - 16,5 % inferiores às 20,3 mil toneladas exportadas em igual período em 2019. Na média o preço em US$ por tonelada foi 5,6% inferior à de igual período do ano passado.

Fios agrícolas (bailer). Aumento no quantitativo exportado e aumento no preço médio. Foram exportadas 3,6 mil toneladas no primeiro semestre de 2020 – 3,4 % maiores que as 3,4 mil toneladas transacionadas em igual período do ano passado. O preço médio FOB US$ tonelada foi 21,4 % superior à de igual período de 2019.

O cordel exportado pela MCM 56072100 (cordéis para atadeiras ou enfardadeiras), teve aumento no volume e no preço médio. Foram exportadas 9,9 mil t. - 22,6% superiores as cerca de 8,1 mil t de igual período de 2019. O preço médio FOB US$ por tonelada foi 2,4% superior  à de igual período do ano anterior.

O tapete exportado pela MCM 57050000 (tapetes e revestimentos para pisos), teve aumento no volume e diminuição no preço médio. Foram exportadas 126,3 toneladas - 32% superiores as 95,7 toneladas vendidas de janeiro a junho de 2019. O preço médio FOB US$ por tonelada  foi 97,2% superior ao observado em igual período do ano atrasado.

Nos gráficos a seguir tem-se dados dos volumes exportados e preços FOB US$ do complexo e individualmente de fibras, desde 1980. As exportações viam crescendo nos três últimos e os preços em queda desde 2015, quando alcançou recorde, após ascendência iniciada em 2002.

 

Preços ao produtor

O preço pago ao produtor em junho 2020 foi de R$ 3,40 por quilo de sisal tipo 2, que vem sendo praticado desde janeiro 2020. Em termo reais, deflacionado pelo IPCA em relação a 2007 (começo da série de dados da Conab), ele é inferior ao observado em 2015, quando alcançou recorde. Em dólares, é o menor nos últimos sete anos, conforme demonstrado no gráfico a seguir.

O preço mínimo foi reajustado pelo Governo Federal em junho 2020, passando para R$ 2,55 kg até junho 2021 – 5% superior ao da safra passada (R$ 2,42), mas ainda inferior ao vigente em 2018, em termos nominais e reais. Em dólares é o menor desde 2007 (gráfico abaixo).

*Informativo Sisal Brasil Julho 2020 – Publicação da INConsult - Elaboração:
Ivo Naves - economista agrícola, msc agronegócios, técnico da Conab ( mai/1976 – mai/2017) e membro da Câmara Setorial de Fibras Naturais – CSFN do Ministério da Agricultura, Abastecimento e Pecuária – Mapa, representando a APAEB da Bahia.

 

Veja também


Desenvolvimento de tecidos de sisal para utilização em compósitos poliméricos


Cosibra lança livro comemorativo escrito por Gonzaga Rodrigues


Sisal Brasil – Informativo julho 2020


Sisal Brasil - Informativo Setembro 2020